O Óleo de Coco é de Fato Bom para a Pele?

O óleo de coco é um tipo de gordura que tem sido elogiado por suas propriedades de benefícios a saúde.

Desde diminuir os níveis de colesterol LDL, até melhorar a função cerebral em pacientes com Alzheimer, óleo de coco está associado com uma infinidade de benefícios para a saúde (1,2).

Na verdade, vários estudos demonstram que o óleo de pode ter benefícios para a saúde da pele também.

Este artigo examina as evidências para examinar os benefícios do óleo de coco para a pele.

O Óleo de Coco é de Fato Bom para a Pele?

O que é óleo de coco?

O óleo de coco é um óleo altamente saturado que é tradicionalmente feito extraindo o óleo de cocos crus ou de cocos secos (3).

Na temperatura ambiente fria é sólido e de cor branca, mas quando em ambientes mais quentes ele se torna líquido e transparente.

É frequentemente usado na cozinha ou aplicado diretamente sobre a pele e cabelo.

O óleo de coco é rico em ácidos graxos de cadeia média, que são uma forma de gordura saturada. De fato, estes ácidos graxos de cadeia média constituem cerca de 65% da sua composição total (4).

Os ácidos graxos de cadeia média encontrados no óleo de coco incluem (4):
  • Ácido láurico: 49%
  • Ácido mirístico: 18%
  • Ácido caprílico: 8%
  • Ácido palmítico: 8%
  • Ácido cítrico: 7%
  • Ácido oleico: 6%
  • Ácido linoléico: 2%
  • Ácido esteárico: 2%
Embora o óleo de coco seja cerca de 90% de gordura saturada, que contém pequenas quantidades de gorduras mono e poli saturadas. Uma colher contém cerca de 12 gramas de gordura saturada e 1 grama de gordura insaturada (5).

Resumindo: O óleo de coco é usado no cozimento, consumido cru, mas também pode ser aplicado na pele ou no cabelo. É rico em gorduras saturadas e ácidos graxos de cadeia média, especialmente ácido láurico.

O Óleo de Coco Mata Micro-organismos Prejudiciais:

Os ácidos graxos de cadeia média no óleo de coco contêm propriedades antimicrobianas que podem ajudar a proteger contra micro-organismos nocivos.

Isto é especialmente importante para a saúde da pele, pois muitos tipos de infecções cutâneas, incluindo acne, celulite, foliculite e pé de atleta, são causadas por bactérias ou fungos (6).

Aplicar óleo de coco diretamente na pele pode impedir o crescimento desses micro-organismos.

Isto é devido ao seu teor de ácido láurico, que compõe quase 50% dos ácidos graxos no óleo de coco e pode combater micro-organismos nocivos.

Um estudo testou as propriedades antibacterianas de 30 tipos de ácidos graxos contra 20 linhagens diferentes de bactérias. Verificou-se que o ácido láurico é o mais eficaz para bloquear o crescimento de bactérias (7).

Outro estudo em tubo de ensaio mostrou que o ácido láurico pode matar Propionibacterium acnes, um tipo de bactéria que leva ao desenvolvimento de acne inflamatória (8).

Além disso, o ácido cáprico é outro ácido graxo de cadeia média encontrado no óleo de coco, embora em menor grau. Tal como o ácido láurico, o ácido cáprico mostrou possuir potentes propriedades antimicrobianas.

Um estudo em tubo de ensaio mostrou que tanto o ácido láurico como o ácido cáprico efetivamente mataram as cepas de bactérias (9).

Outro estudo em tubo de ensaio demonstrou os efeitos antifúngicos do ácido cáprico, mostrando que foi capaz de inibir o crescimento de certos tipos de fungos (10).

Resumindo: Os ácidos graxos encontrados no óleo de coco têm propriedades antimicrobianas que efetivamente matam bactérias e fungos.

O Óleo de Coco pode Reduzir a Inflamação:

A inflamação crônica é um componente importante de muitos tipos diferentes de distúrbios da pele, incluindo psoríase, dermatite de contato e eczema (11).

Curiosamente, o óleo de coco mostrou ter propriedades anti-inflamatórias.

Em um estudo, os pesquisadores aplicaram óleo de coco virgem nos ouvidos inflamados de ratos. Não só o óleo de coco foi encontrado para ter um efeito anti-inflamatório, mas também aliviou a dor (12).

Além do mais, óleo de coco pode aliviar a inflamação, melhorando o status antioxidante.

Os antioxidantes atuam estabilizando os radicais livres no organismo, neutralizando os átomos reativos que podem contribuir para a inflamação (13).

Um estudo de 2013 alimentado ratos com diferentes tipos de óleo, incluindo óleo de coco, azeite e óleo de girassol. No final do estudo de 45 dias, o óleo de coco virgem melhorou o estado antioxidante e preveniu o estresse oxidativo com maior extensão (14).

É importante ter em mente que a maioria das pesquisas atuais está limitada a estudos com animais e testes, por isso é difícil saber como esses resultados podem se traduzir para os seres humanos.

No entanto, com base nestes estudos, o óleo de coco mostra grande potencial em sua capacidade de reduzir a inflamação quando consumido ou aplicada à pele.

Resumindo: Estudos em animais mostraram que o óleo de coco pode aliviar a inflamação, melhorando o status antioxidante e diminuindo o estresse oxidativo.

O Óleo de Coco pode ajudar a Tratar a Acne:

Enquanto alguns pensam que o óleo de coco obstrui os poros, uma pesquisa considerável mostra que pode realmente ajudar a tratar a acne.

Acne é uma condição inflamatória, e muitos dos medicamentos utilizados para tratá-lo agem na redução da inflamação (15).

Como o óleo de coco e seus componentes podem ajudar a reduzir a inflamação no corpo, ele também pode ajudar no tratamento da acne.

Além disso, as propriedades antibacterianas dos ácidos graxos de cadeia média no óleo de coco também podem ajudar a reduzir a acne.

Numerosos estudos têm demonstrado que o ácido láurico, que responde por quase metade dos ácidos graxos no óleo de coco, tem sido demonstrado para matar a estirpe de bactérias ligadas à acne (8,16).

De fato, estudos em tubo de ensaio e em animais mostraram que o ácido láurico é mais eficaz do que o peróxido de benzoíla na prevenção do crescimento de bactérias causadoras pela acne (16).

Junto com o ácido láurico, o ácido cáprico mostrou ter propriedades anti-inflamatórias e antibacterianas.

Um estudo em animais e tubo de ensaio de 2014 mostrou que tanto o ácido láurico como o ácido cáprico foram bem sucedidos na redução da inflamação e na eliminação de bactérias para prevenir a acne (17).

Para obter os melhores resultados, óleo de coco deve ser aplicado diretamente sobre a pele em áreas onde a acne é encontrada.

Resumindo: As propriedades anti-inflamatórias e antibacterianas do óleo de coco e seus componentes podem ajudar a tratar a acne.

O Óleo de Coco Hidrata a Pele Seca:

Além de seus efeitos sobre a acne e a inflamação, aplicar o óleo de coco diretamente sobre a pele também pode ajudar a mantê-la hidratada.

Um estudo comparou os efeitos do óleo de coco ao óleo mineral, um tipo de óleo feito do petróleo que é usado frequentemente para tratar a pele seca, em pacientes com pele suave a moderadamente seca.

O estudo de duas semanas descobriu que o óleo de coco melhorou significativamente a hidratação da pele e foi tão eficaz quanto o óleo mineral (18).

Ele também mostrou ajudar a tratar eczema, uma condição da pele caracterizada por erupções cutâneas escamosas.

Um estudo comparando os efeitos do azeite e óleo de coco em 52 adultos com eczema descobriu que a aplicação de óleo de coco ajudou a reduzir a secura, além de ajudar a tratar o eczema (19).

Outros estudos encontraram resultados semelhantes, mostrando que o óleo de coco levou a uma redução de 68% na gravidade do eczema, tornando-o significativamente mais eficaz do que o óleo mineral no tratamento do eczema (20).

Manter sua pele hidratada pode ajudar a preservar sua função como uma barreira para manter fora as bactérias, promover a cicatrização de ferimentos e manter a integridade total da pele (21,22,23).

Resumindo: O óleo de coco é um hidratante eficaz e ajuda no tratamento da pele seca e eczema.

O Óleo de Coco Ajuda na Cura de Ferimentos:

Vários estudos demonstram que o óleo de coco também pode ajudar a cicatrização de feridas.

Um estudo em animais analisou como o óleo de coco aplicado na pele afetou a cicatrização de feridas em ratos.

Descobriu que o tratamento das feridas com óleo de coco virgem acelerou a cicatrização, melhorou o estado antioxidante e aumentou os níveis de colágeno, uma proteína importante que auxilia na cicatrização de feridas (24).

Outro estudo em animais mostrou que o óleo de coco combinado com um antibiótico aplicado na pele foi eficaz na cicatrização de feridas (25).

Além de melhorar a cicatrização das feridas, suas propriedades antimicrobianas também podem prevenir a infecção, um dos principais fatores de risco que pode complicar o processo de cicatrização (26).

Resumindo: Estudos em animais mostram que o óleo de coco pode ajudar a acelerar a cicatrização de feridas.

Quem não deve Usar o Óleo de Coco?

Enquanto a pesquisa mostra que o óleo de coco pode beneficiar a saúde da pele, aplicá-lo à pele pode não ser ideal para todos.

Por exemplo, aqueles que têm pele oleosa podem querer evitar fazê-lo, pois pode bloquear poros e causar cravos.

Como com a maioria das coisas, tentativa e erro pode ser a melhor abordagem para determinar se o óleo de coco funciona para você.

Além disso, se você tem pele sensível, use uma pequena quantidade ou tente aplicá-lo apenas a uma pequena parte da pele para se certificar de que não causa irritação ou poros bloqueados.

No entanto, comer e cozinhar com óleo de coco geralmente não é um problema para a maioria das pessoas.

Dito isto, se você tem pele oleosa ou altamente sensível, considere adicionar óleo de coco em sua dieta em vez de usá-lo diretamente sobre a pele.

Que tipo de Óleo de Coco é o Melhor?

O óleo de coco pode ser produzido através de processamento seco ou úmido.

Processamento a seco envolve a secagem da polpa de coco para criar grãos, pressionando-os para extrair o óleo, em seguida, branqueamento e desodorização.

Este processo forma o óleo de coco refinado, que tem um aroma mais neutro e maior ponto de fumaça (27).

No processamento úmido, o óleo de coco é obtido a partir de polpa crua de coco, em vez de secas, para criar óleo de coco virgem. Isso ajuda a reter o aroma de coco e resulta em um menor ponto de fumaça (27).

Enquanto óleo de coco refinado pode ser mais adequado para cozinhar em altas temperaturas, o óleo de coco virgem é uma escolha melhor em termos de saúde da pele.

Não só a maioria das pesquisas existentes estão centralizadas especificamente sobre os efeitos do óleo de coco virgem, como também existem evidências de maiores benefícios à saúde.

Um estudo com animais de 2009 descobriu que o óleo de coco virgem melhorou o status antioxidante e aumentou a capacidade de neutralizar os radicais livres causadores de doenças, em comparação com o óleo de coco refinado (28).

Outro estudo em tubo de ensaio mostrou que o óleo de coco virgem tinha uma quantidade maior de antioxidantes e fenóis redutores de inflamação, bem como uma capacidade melhorada para combater os radicais livres, em comparação com o óleo de coco refinado (27).

Os resultados destes dois estudos indicam que o óleo de coco virgem pode ser mais eficaz do que o óleo de coco refinado na prevenção da oxidação e neutralização de radicais livres, que podem danificar as células e levar à inflamação e doença.

Resumindo: O óleo de coco virgem pode ser uma escolha melhor do que o óleo de coco refinado, dado que fornece benefícios adicionados a saúde como o status antioxidante melhorado.

Concluindo:

Embora os benefícios para a saúde em ingerir o óleo de coco sejam bem estudados, a pesquisa sobre os seus efeitos sobre a pele é na sua maioria limitada a estudos em animais ou tubos de ensaios.

No entanto, o óleo de coco pode estar ligado a alguns benefícios potenciais para a pele, incluindo a redução da inflamação, manter a pele hidratada e ajudar a curar feridas.

Os ácidos graxos de cadeia média encontrados no óleo de coco também possuem propriedades antimicrobianas que podem ajudar a tratar a acne e proteger a pele de bactérias nocivas.

Se você tem pele oleosa ou altamente sensível, certifique-se de começar lentamente avaliar a sua tolerância, e consultar com um dermatologista se você tiver quaisquer preocupações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário