11 Benefícios comprovados do azeite de Oliva

Há muitos desacordos sobre as gorduras na dieta.

No entanto, praticamente todos concordam que o azeite, especialmente o extra virgem extra, é bom para a saúde.

Aqui estão 11 benefícios do azeite de oliva para a saúde que são apoiados por pesquisas científicas.

1. O azeite de oliva é rico em gorduras monoinsaturadas saudáveis

11 Benefícios comprovados do azeite de Oliva
O azeite de oliva é o óleo natural extraído das azeitonas, o fruto gordo da oliveira.

Cerca de 24% do azeite são gorduras saturadas e omega-6 e ácidos graxos ômega-3 (1).

Mas o ácido graxo predominante (73%) no azeite é uma gordura monoinsaturada chamada ácido oleico, que é extremamente saudável.

Considera-se que o ácido oleico ajuda a reduzir a inflamação e pode ter efeitos benéficos sobre genes ligados ao câncer (2, 3, 4, 5).

As gorduras monoinsaturadas no azeite extra virgem, também são bastante resistentes ao calor elevado, tornando-se uma escolha saudável para cozinhar.

Resumindo: o azeite é rico em ácido oleico monoinsaturado. Considera-se que este ácido graxo tem muitos efeitos benéficos e é uma escolha saudável para cozinhar.

2. O azeite de oliva contém grandes quantidades de antioxidantes

O azeite extra virgem é bastante nutritivo.

Além de seus ácidos graxos benéficos, contém quantidades modestas de Vitaminas E e K.

Mas o azeite também é carregado com poderosos antioxidantes.

Estes antioxidantes são biologicamente ativos e podem ajudar a combater doenças graves (6, 7).

Isso inclui antioxidantes que podem combater a inflamação e ajudar a evitar que o colesterol no nosso sangue se oxida, ambos os passos cruciais no processo de doença cardíaca (8, 9).

Resumindo: o azeite de oliva extra virgem é carregado com antioxidantes, alguns dos quais possuem poderosos efeitos biológicos.

3. O azeite de oliva tem fortes propriedades anti-inflamatórias

Acredita-se que a inflamação crônica esteja entre os principais fatores de muitas doenças.

Isso inclui câncer, doenças cardiovasculares, síndrome metabólica, diabetes, doença de Alzheimer, artrite e até obesidade.

O azeite pode reduzir a inflamação, que pode ser uma das principais razões para os benefícios para a saúde.

Os principais efeitos anti-inflamatórios são mediados pelos antioxidantes. O principal entre eles é oleocanthal, que mostrou funcionar de forma semelhante ao ibuprofeno, um fármaco anti-inflamatório (10).

Alguns cientistas calculam que o oleocanthal em 50 ml (3.4 colheres de sopa) de azeite extra virgem tem eficácia semelhante a 10% da dosagem adulta de ibuprofeno (11).

Existem também estudos que sugerem que o próprio ácido oleico, o principal ácido graxo no azeite, pode reduzir os níveis de marcadores inflamatórios importantes, como o CRP (2, 3).

Um estudo também mostrou que os antioxidantes do azeite podem inibir alguns genes e proteínas que conduzem a inflamação (12).

Resumindo: o azeite de oliva contém nutrientes que podem combater a inflamação. Isso inclui o ácido oleico, bem como o antioxidante oleocanthal.

4. O azeite de oliva pode ajudar a prevenir o acidente vascular cerebral

O acidente vascular cerebral é causado por um distúrbio do fluxo sanguíneo para o cérebro, seja devido a coágulo sanguíneo ou sangramento.

Em países desenvolvidos, o acidente vascular cerebral é a segunda causa mais comum de morte, logo após a doença cardíaca (13).

A relação entre o azeite e o risco de acidente vascular cerebral tem sido amplamente estudado.

Um grande estudo de revisão que incluiu mais de 841 mil indivíduos descobriu que o azeite era a única fonte de gordura monoinsaturada associada a um risco reduzido de AVC e doença cardíaca (14).

Essas descobertas são apoiadas por outro grande estudo de revisão, este com 140 mil participantes. Os pesquisadores descobriram que aqueles que consumiram o azeite estavam em um risco muito menor de AVC (15).

Resumindo: existem muitos grandes estudos que mostram que as pessoas que consomem azeite têm um risco muito menor de desenvolver acidente vascular cerebral, o segundo maior assassino em países desenvolvidos.

5. O azeite de oliva é protetor contra doença cardíaca

A doença cardíaca é a causa mais comum de morte no mundo (16).

Estudos observacionais realizados algumas décadas atrás mostraram que a doença cardíaca era rara ao redor do Mar Mediterrâneo.

Isso levou a uma extensa pesquisa sobre a dieta mediterrânea, que agora demonstrou reduzir significativamente o risco de doença cardíaca (17, 18).

O óleo de oliva extra virgem é uma das principais características desta dieta e protege contra doenças cardíacas através de inúmeros mecanismos (19).

Reduz a inflamação, protege o colesterol LDL da oxidação, melhora a função do revestimento dos vasos sanguíneos e pode ajudar a prevenir a coagulação sanguínea indesejada (20, 21, 22, 23, 24, 25).

Curiosamente, também demonstrou diminuir a pressão arterial, que é um dos fatores de risco mais fortes para doenças cardíacas e morte prematura. Em um estudo, o azeite de oliva reduziu a necessidade de medicação de pressão arterial em 48% (26, 27, 28).

A verdade é que dezenas, senão centenas, de estudos mostraram que o azeite extra virgem tem poderosos benefícios para o coração.

Se você tem doença cardíaca, história familiar de doença cardíaca ou qualquer outro fator de risco importante, então você deve considerar a inclusão de uma abundância de azeite extra virgem em sua dieta.

Resumindo: o azeite de oliva tem inúmeros benefícios para a saúde do coração. Abaixa a pressão arterial, protege as partículas de LDL da oxidação e tem efeitos benéficos sobre muitos outros fatores de risco.

6. O azeite de oliva não causa ganho de peso e obesidade

Comer gordura não deixa você gordo e o azeite não é exceção.

Numerosos estudos ligaram os padrões dietéticos mediterrâneos, ricos em azeite de oliva, com efeitos favoráveis sobre o peso corporal (29, 30, 31).

Em um estudo de 2,5 anos de mais de 7000 estudantes universitários espanhóis, o consumo de uma grande quantidade de azeite de oliva não estava relacionado ao aumento de peso (32).

Em outras palavras, a alta ingestão de azeite de oliva não está associada ao aumento de peso ou à obesidade em estudos observacionais.

Um estudo de 3 anos em 187 participantes descobriu que uma dieta rica em azeite aumentou os níveis de antioxidantes no sangue e causou perda de peso (33).

Resumindo: Consumir grandes quantidades de azeite de oliva não parece aumentar a probabilidade de aumento de peso. Pode até ser benéfico para a perda de peso.

7. O azeite de oliva pode ajudar a combater a doença de Alzheimer

A doença de Alzheimer é a doença neurodegenerativa mais comum no mundo.

Uma das principais características é o acúmulo de placas chamadas de beta-amiloide dentro das células do cérebro.

Um estudo em camundongos mostrou que uma substância no azeite de oliva pode ajudar a remover essas placas das células cerebrais (34).

Outro estudo, desta vez em humanos, mostrou que uma dieta mediterrânea com azeite de oliva teve efeitos benéficos sobre a função cerebral (35).

Resumindo: alguns estudos sugerem que o azeite de oliva pode ajudar a combater a doença de Alzheimer, mas é necessário mais pesquisa para confirmar isso.

8. O azeite de oliva pode reduzir o risco de diabetes tipo 2

O azeite de oliva parece ser altamente protetor contra a diabetes.

Vários estudos ligaram o azeite de oliva a efeitos benéficos sobre o açúcar no sangue e a sensibilidade à insulina (36, 37).

Um ensaio clínico randomizado de 418 participantes não diabéticos recentemente confirmou os efeitos protetores do azeite de oliva (38).

Neste estudo, uma dieta mediterrânea com azeite reduziu o risco de desenvolver diabetes tipo 2 em mais de 40%.

Resumindo: Ambos estudos observacionais e ensaios clínicos sugerem que o azeite de oliva, combinado com uma dieta mediterrânea, pode reduzir o risco de desenvolver diabetes tipo 2.

9. Os antioxidantes no azeite de oliva têm propriedades anticâncer

O câncer é uma das causas mais comuns de morte no mundo.

As pessoas nos países mediterrâneos têm um menor risco de alguns tipos de câncer, e muitos pesquisadores acreditam que o azeite de oliva pode ter algo a ver com isso (39).

Os antioxidantes no azeite podem reduzir o dano oxidativo devido aos radicais livres, que se acredita ser um dos principais impulsionadores do câncer (40, 41).

Muitos estudos de tubos de ensaio demonstraram que compostos no azeite de oliva podem ajudar a combater as células cancerosas (42, 43).

Se o azeite de oliva pode realmente ajudar a prevenir o câncer precisa ser estudado adequadamente em seres humanos.

Resumindo: Há evidências preliminares de que o azeite de oliva pode ajudar a prevenir o câncer, mas isso precisa ser estudado corretamente.

10. O azeite de oliva pode ajudar a tratar a artrite reumatoide

A artrite reumatoide é uma doença autoimune caracterizada por articulações deformadas e dolorosas.

A causa exata não é bem compreendida, mas envolve o sistema imunológico do corpo atacando células normais por engano.

A suplementação de azeite de oliva parece melhorar os marcadores inflamatórios e reduzir o estresse oxidativo em indivíduos com artrite reumatoide (44, 45).

O azeite parece ser particularmente benéfico quando combinado com óleo de peixe, fonte de ácidos graxos ômega-3 anti-inflamatórios.

Em um estudo, o azeite de oliva e o óleo de peixe reduziram significativamente a dor nas articulações, a força do punho e a rigidez da manhã em pessoas com artrite reumatoide (46).

Resumindo: o azeite de oliva pode ajudar a reduzir a dor nas articulações e o inchaço da artrite reumatoide. Os efeitos benéficos são grandemente aumentados quando combinados com óleo de peixe.

11. O azeite de oliva tem propriedades antibacterianas

O azeite contém muitos nutrientes que podem inibir ou matar bactérias nocivas (47).

Um deles é Helicobacter pylori, uma bactéria que vive no estômago e pode causar úlceras no estômago e câncer de estômago.

Estudos de tubos de ensaio demonstraram que o azeite extra virgem é eficaz contra oito cepas desta bactéria, três das quais são resistentes aos antibióticos (48).

Um estudo em seres humanos mostrou que 30 gramas de azeite extra virgem podem eliminar a infecção por Helicobacter pylori em 10-40% das pessoas em apenas 2 semanas (49).

Resumindo: o azeite de oliva extra virgem tem propriedades antibacterianas, e mostrou-se particularmente eficaz contra Helicobacter pylori, um tipo de bactéria que pode causar úlceras no estômago e câncer de estômago.

Certifique-se de obter o tipo certo de azeite

A importância de obter o tipo certo de azeite não pode ser ignorada.

O azeite extra virgem é o único tipo que contém todos os antioxidantes e compostos bioativos. É o único azeite que recomendamos.

Mas mesmo assim, há muita fraude no mercado de azeite, e muitos azeites que têm "extra virgem" no rótulo foram diluídos com outros óleos refinados.

Portanto, faça alguma pesquisa e certifique-se de que você está realmente adquirindo o azeite extra virgem verdadeiro.

Concluindo

No final do dia, o azeite de oliva extra virgem de qualidade é super saudável.

Pode ser a única gordura mais saudável do planeta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário