Perder o cabelo em qualquer idade pode ser angustiante, mas ainda mais quando é prematuro ou grave.

Para muitas pessoas, isso pode ser um golpe para a autoestima delas, e fazer com que joguem dinheiro em praticamente qualquer coisa para tentar salvar seus cabelos.

A verdade é que todos irão desenvolver algum grau de perda de cabelo à medida que envelhecem.
"Isso acontece com todos ao longo de sua vida", diz Rod Sinclair, da Universidade de Melbourne.
É apenas uma questão de com que idade - e com que rapidez - isso acontece.

Então, o que acontece quando o cabelo começa a cair? E pode ser parado (ou pelo menos desacelerado)?

Queda de cabelo: Porque acontece e pode ser interrompida?

Primeiro, um pouco sobre o cabelo

Os cabelos são minúsculos fios de uma proteína chamada queratina. Eles são ancorados em um grupo de células especializadas chamadas folículos capilares, que fornecem oxigênio e nutrientes à raiz (ou bulbo) do cabelo e lubrificam o cabelo com uma substância oleosa chamada sebo.

O corpo humano está completamente coberto de folículos pilosos, exceto nas palmas das mãos, solas dos pés e nos lábios. Principalmente, os folículos pilosos são minúsculos, e os fios que eles produzem não crescem o suficiente para se projetarem dos poros.

As áreas onde os fios se projetam (e são visíveis acima da pele) incluem as axilas, a face, os genitais, a frente do peito, as costas e, mais profusamente, o couro cabeludo da cabeça. Um couro cabeludo contém tipicamente cerca de 100.000 folículos pilosos.

O cabelo está em um ciclo constante de crescimento, descanso e renovação. Os fios crescem e depois são eliminados, mas, como crescem em ritmos diferentes, nem todos caem de uma só vez.

Demora cerca de três anos para os folículos capilares produzirem um cabelo que cresce, descansa, cai e depois volta a crescer, o que significa que o couro cabeludo perde entre 50 e 200 fios por dia.

Quando os homens começam a ficar calvos

Em alguns homens, o processo de crescimento capilar diminui a velocidade.

A fase de crescimento de cada cabelo fica gradualmente mais curta e a fase de repouso torna-se mais longa. Eventualmente, os fios que estão crescendo tornam-se tão curtos que mal emergem do folículo piloso.

O processo começa nos lados da cabeça (acima das têmporas) e em uma área na coroa, e se espalha a partir daí. À medida que a linha do cabelo recua para trás, a calvície fica maior também.

Isso é conhecido como "calvície de padrão" masculina ou alopecia androgenética. É o tipo mais comum de calvície, afetando cerca de metade dos homens aos 50 anos e mais de 80% aos 70 anos.

E as mulheres?

As mulheres também sofrem queda de cabelo, mas é menos comum do que nos homens (embora ainda seja a causa mais comum de perda de cabelo em mulheres).

O padrão de queda de cabelo é diferente, no entanto: ela tende a se diluir sobre o topo do couro cabeludo, em vez de resultar em uma área de calvície, diz o dermatologista Michael Freeman, da Universidade de Bond.

"Muitas vezes, nas mulheres, isso afeta 50% dos cabelos, por isso muitas mulheres não ficam realmente carecas, mas o cabelo delas pode ficar tão perigosamente fino que pode se tornar um grande problema para elas", disse o professor adjunto Freeman.

Mais de 50 por cento das mulheres têm alguma perda de cabelo leve com a idade, e cerca de 20 por cento das mulheres desenvolvem perda de cabelo moderada ou grave.

É natureza, não estimulo

Apesar do que as pessoas podem dizer sobre lavar o cabelo e usar o chapéu, a perda de cabelo padronizada é resultado de fatores genéticos e hormonais.

São os hormônios andrógenos em nosso corpo (produzidos em quantidades diferentes por homens e mulheres) que, segundo acreditamos, fazem os folículos pilosos encolherem e param de crescer em pessoas com suscetibilidade genética.

Se isso acontece ou não em uma pessoa em particular, em que idade ela começa, e quão extensa ela será, é determinada pelos genes da pessoa.

Acredita-se que vários genes determinam como você é suscetível a perder o cabelo, e estes podem vir do lado de sua mãe e pai de sua família.

"É como esses genes interagem que determinam o que está acontecendo na prole", diz o professor Sinclair.

"Não é um fenômeno tudo ou nada - não é como olhos castanhos ou olhos azuis. É um traço quantitativo ... então a questão não é você ficar calvo, mas quanta calvície você terá".

Outras causas de queda de cabelo

A queda de cabelo não se resume apenas à genética - há uma série de razões pelas quais as pessoas podem perder o cabelo.

A alopecia areata é uma condição autoimune em que o sistema imunológico de uma pessoa ataca os folículos pilosos do seu corpo. Muitas vezes aparece como uma ou várias áreas, mas em casos graves pode afetar todo o corpo.

A queda de cabelo pode ser um efeito colateral de alguns medicamentos, tratamentos médicos e doenças. Também pode acontecer depois de uma grande cirurgia, períodos de estresse e depois que as pessoas experimentam um choque súbito, como o luto. A perda de cabelo nesses casos geralmente é temporária, mas pode se tornar crônica.

O excesso de penteados (através de alisamento ou secagem) ou tratamentos (como alisamentos ou descoloração) podem causar queda de cabelo.

Alterações hormonais ou desequilíbrios (que podem ocorrer durante a gravidez ou com alguns medicamentos) também podem causar queda de cabelo.

Existe uma cura?

Em suma: não. A queda de cabelo hereditária relacionada à idade é difícil de reverter.

"Quando você trata pessoas com queda de cabelo, você pode estimular o crescimento parcial, mas geralmente é improvável que você consiga o crescimento completo", diz o professor Sinclair.

Enquanto algumas pessoas usam produtos como suplementos vitamínicos ou remédios à base de ervas para combater a queda de cabelo, não há evidências fortes que mostrem que esses tratamentos ajudam.

Existem, no entanto, alguns tratamentos que podem ajudar a retardar ou reduzir a perda de cabelo, ou estimular a regeneração parcial.

"Ou você tenta bloquear a ação do hormônio [andrógeno] no couro cabeludo, ou tenta estimular o cabelo", diz o professor associado Freeman.

Para bloquear a ação hormonal e ajudar a retardar a progressão da perda de cabelo nos homens, um médico ou um dermatologista pode prescrever a finasterida, um medicamento somente para prescrição, concebido para ser tomado uma vez ao dia. Os efeitos colaterais da droga são incomuns, mas incluem diminuição do desejo sexual e disfunção sexual.

Quando se trata de estimular o crescimento do cabelo, um médico ou dermatologista pode recomendar o minoxidil, uma loção - também agora em forma de comprimido - que tem sido usada desde a década de 1970, e está disponível sem receita médica (e adequada para homens e mulheres).

Mais uma vez, os efeitos colaterais são incomuns, mas incluem ressecamento do couro cabeludo, coceira e dermatite.

Há também uma série de medicamentos específicos para as mulheres que bloqueiam o efeito dos hormônios andrógenos e ajudam a retardar a progressão da perda de cabelo.

Se um tratamento específico é efetivo ou não pode depender de vários fatores, incluindo a extensão da perda de cabelo de uma pessoa.

"Quanto mais tempo estiver acontecendo, mais os cabelos ficarão irreversivelmente perdidos", diz o professor Sinclair.

Além de tratamentos médicos, perucas e peças de cabelo podem ser opções cosméticas viáveis ​​para pessoas com perda de cabelo.

Cirurgia de transplante capilar

Para pessoas cuja perda de cabelo é muito severa para medicamentos orais ou loções capilares, elas podem considerar a cirurgia de transplante de cabelo.

Este é um procedimento que envolve um cirurgião tirando tiras ou partes de cabelo da parte de trás ou dos lados da cabeça e colocando-os cirurgicamente em áreas onde não há fios, ou entre fios em áreas de desbaste.

O procedimento pode levar várias horas e você pode precisar de várias sessões de tratamento para obter resultados satisfatórios.

Pode ser dispendioso e existe o risco de complicações, por isso - como acontece com qualquer tratamento de perda de cabelo - é importante falar primeiro com um dermatologista ou com um especialista.

Postar Comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Postagem Anterior Próxima Postagem