Vertigem: Causas, Sintomas, Tipos e Diagnóstico

A vertigem é a sensação de que tudo à sua volta está aparentemente girando e parece que você está numa montanha russa.

Você também se sente instável ou desequilibrado, embora não haja movimento algum. É um sintoma às vezes usado para se referir a um medo de altura; no entanto, este não é um termo médico correto. Um medo de altura é chamado de acrofobia.

É uma sensação de tontura e um sintoma de uma ampla gama de condições de equilíbrio, incluindo a doença de Ménière, a labirintite e a vertigem posicional paroxística benigna (VPPB). Pesquisas mostram que aproximadamente 40% das pessoas com mais de 40 anos experimentam essa condição pelo menos uma vez na vida. No geral, vertigem e tontura afetam cerca de 5% a 10% da população.

A vertigem se desenvolve quando partes delicadas dos ouvidos não conseguem enviar informações precisas ao cérebro sobre sua posição. Esta condição ocorre por várias razões, incluindo golpes na cabeça, lesões, infecções de ouvido e inflamação. Com isso dito, existem vários tratamentos naturais para a vertigem, incluindo remédios homeopáticos.

Sinais e Sintomas de Vertigem

Vertigem: Causas, Sintomas, Tipos e Diagnóstico
Como mencionado, uma pessoa com vertigem sente que ela ou seu ambiente está girando ou se movendo, e ainda assim não há movimento. Também parece que você está inclinando ou caindo, inclusive balançando e desequilibrando quando anda ou se mexe. Outros sintomas incluem:
  • Tontura
  • Ocasionalmente sentir que você pode desmaiar
  • Aumento da transpiração
  • Náuseas, vômitos ocasionais e sensação de enjoo
  • Perder sua audição ou ter zumbido nos ouvidos
  • Dores de cabeça
  • Visão turva ou movimentos oculares anormais como sacudidelas ou o olho se movendo em direção ao ouvido afetado
Os sintomas aparecem e desaparecem e duram de vários minutos a muitos dias. Algumas pessoas experimentam sintomas piores do que outros, e isso depende de coisas como acúmulo de líquido no ouvido, bem como a quantidade de dano que afetou o ouvido.

Às vezes, a vertigem desaparece sozinha, porque os sentidos e o corpo podem se adaptar às mudanças no ouvido. Ao mesmo tempo, pode retornar sem qualquer aviso e reaparecer de tempos em tempos.

Causas da vertigem

Embora a vertigem seja frequentemente causada pela mudança da posição da cabeça, também há causas subjacentes que contribuem para o problema.

A seguir, três dos principais gatilhos da vertigem:

1. Labirintite ou Neurite Vestibular

A labirintite, também chamada de neurite vestibular, é causada por vírus ou infecções de ouvido que atacam o ouvido interno. As infecções crônicas do ouvido levam à inflamação, e isso danifica os nervos necessários para o equilíbrio e a orientação.

2. Síndrome de Meniére

A síndrome de Meniére um distúrbio de ouvido interno raro e grave, desencadeado pelo acúmulo de líquido no ouvido interno. Como resultado, faz com que os níveis de pressão mudem no ouvido.

O zumbido e a perda auditiva são comuns na doença de Meniére. Afeta apenas 0,2% das pessoas entre 40 e 60 anos.

3. Vertigem Posicional Paroxística Benigna (VPPB)

A VPPB é uma vertigem periférica associada a problemas no ouvido interno que levam à tontura. A causa subjacente da VPPB são os cristais de cálcio, chamados otocônios, que se deslocam de uma área dentro do ouvido, conhecida como labirinto.

A VPPB pode estimular os pelos nervosos nos ouvidos, o que envia sinais falsos ao cérebro. Pode ser causada por movimentos simples como exercícios, olhar para cima ou para baixo, rolar para um lado enquanto dorme ou inclinar a cabeça para um lado.

Outras possíveis causas de vertigem incluem colesterol alto, pés frios, dor de ouvido, desidratação, visão dupla, diabetes, anemia, paralisia facial, um derrame ou tumor cerebral, lesão na cabeça ou pescoço, enxaqueca ou dores de cabeça severas, danos nos ouvidos causados ​​por medicamentos e cálcio. deficiência.

Tipos de Vertigem

Existem duas formas comuns de vertigem - vertigem periférica e vertigem central.

A vertigem periférica resultará de um problema no ouvido interno ou no nervo vestibular, que conecta o ouvido interno e o cérebro. A vertigem central costuma ser um problema no cérebro que ocorre especificamente no cerebelo - a parte do cérebro que controla o equilíbrio e o movimento.

Aqui está uma visão detalhada da vertigem periférica e vertigem central.

Vertigem Periférica

Aproximadamente 93% dos casos de vertigem são considerados como vertigem periférica e são causados ​​pela doença de Meniére, VPPB ou vestibulopatia periférica aguda (APV) - inflamação do ouvido interno com um início súbito de vertigem.

Outra causa pode ser uma fístula perilinfática, que é uma conexão anormal entre o ouvido interno e o ouvido médio. Outras possíveis causas raras de vertigem periférica incluem erosão do colesteatoma (cisto no ouvido interno) e otosclerose (crescimento ósseo anormal no ouvido médio).

Além daquele sentimento onde o quarto está girando, os sintomas de vertigem periférica incluem sudorese, náusea, vômito, dor ou sensação de plenitude no ouvido, perda auditiva e zumbido (zumbido nos ouvidos). Seus olhos também podem se mover sem o seu controle.

Vertigem Central

A vertigem central é causada por uma lesão no cérebro ou uma doença, incluindo uma infecção ou enfermidade, enxaquecas, acidentes vasculares cerebrais, lesões na cabeça, esclerose múltipla, um tumor no cerebelo ou ataques isquêmicos transitórios - também chamados de mini derrames.

Além da sensação de “ambiente girando”, os sintomas da vertigem central incluem dores de cabeça, dificuldade para engolir e fraqueza. Os episódios de vertigem central são geralmente muito mais intensos e duram por períodos muito mais longos que a vertigem periférica.

Pessoas com vertigem central podem não conseguir andar ou ficar em pé sem ajuda. Os movimentos oculares involuntários também duram semanas a meses com a vertigem central.

Como são diagnosticadas as vertigens e as doenças associadas?

Um diagnóstico de vertigem dependerá se a causa é central ou periférica e se você tem vertigem verdadeira. Se você tiver vertigem verdadeira, o mundo parecerá estar girando. Tontura e não vertigem verdadeira.

Também é importante se você tiver complicações com risco de vida, como vertigem súbita, vertigem associada a sinais neurológicos como fraqueza ou falta grave de coordenação muscular e vertigem associada a surdez e história de doença de Meniére.

O médico também irá recuperar o histórico médico completo do paciente, que inclui informações sobre suas recentes doenças e medicamentos. Um exame neurológico avaliará a função cerebral para determinar se é vertigem periférica ou vertigem central.

O médico também descartará um derrame quando houver novos sintomas de vertigem. Os sinais de incoordenação ou movimentos oculares anormais também identificarão o problema subjacente da vertigem.

A seguir, são determinados testes para determinar o tipo específico de vertigem:
  • Teste de Romberg: Para este teste, você estará com os pés juntos e os olhos abertos, feche os olhos e tente manter o equilíbrio. É usado para investigar a causa da perda de coordenação.
  • Teste de pressão de cabeça: você fixará no nariz do examinador e o examinador fará um movimento rápido da cabeça para o lado. O examinador irá verificar se o seu movimento ocular está correto.
  • Teste de Dix-Hallpike: Neste teste, você abaixa rapidamente de uma posição sentada para uma posição supina com a cabeça apontada ligeiramente para a esquerda ou para a direita. Seus movimentos oculares ajudam a determinar seu diagnóstico de vertigem. Este teste ajudará a recriar os sintomas de vertigem.
  • Teste de Unterberger-Fukuda: Com este teste, você marchará no lugar com os olhos fechados, sem se inclinar de um lado para o outro. Isso ajudará a testar sua função labiríntica através de seus reflexos vestibuloespinhais.
  • Exames de imagem: uma ressonância magnética ou tomografia computadorizada do ouvido interno ou do cérebro ajudará a descartar um problema estrutural, como um derrame.

Como Tratar a Vertigem

Como você trata os sintomas da vertigem? Do ponto de vista da medicina convencional, os agentes bloqueadores vestibulares (VBAs) são o tipo mais comum de tratamento, e estes incluem benzodiazepinas, anti-histamínicos e antieméticos. Os medicamentos podem fornecer algum alívio, mas não fornecem uma cura da vertigem.

Alguns dos tratamentos mais eficazes para a vertigem incluem movimentos de reposicionamento de partículas. Um desses movimentos é o procedimento de reposicionamento canalítico, e é projetado para remover pedras de orelha ou depósitos de cálcio.

Como a inatividade tem sido associada à piora da vertigem, a reabilitação vestibular é um tipo de fisioterapia que ajuda a melhorar os órgãos vestibulares. Esta reabilitação incluirá melhoria no equilíbrio, coordenação motora, resistência e condicionamento físico.

Quais São os Remédios Caseiros Para a Vertigem?

Como a inflamação e o estresse aumentam o risco de vertigem, meditação, ioga, passar tempo na natureza e usar óleos essenciais como o ylang ylang, a lavanda e a camomila podem ajudar.

Alguns remédios homeopáticos que também são úteis para a vertigem incluem nux vomica, coculus, bórax, tabacum, acônito, bryonia e calcarea carbonica.

Ervas e suplementos que podem ajudar ainda mais a reduzir os sintomas de vertigem incluem açafrão, pimenta caiena, raiz de gengibre, ginkgo biloba, vinpocetina e coenzima Q10 (CoQ10). Acupuntura, quiropraxia, reflexologia e terapia craniossacral também podem ser eficazes para a vertigem.

Considerações Finais sobre Vertigem

Vertigem é uma sensação de tontura tão grave que você está aparentemente girando. Outros sintomas incluem tonturas, dores de cabeça, desmaios, zumbidos ou aumento da transpiração. Três dos principais desencadeadores da vertigem incluem labirintite, doença de Meniére e vertigem posicional paroxística benigna (VPPB).

Os dois principais tipos de vertigem são vertigem periférica e vertigem central. A condição será diagnosticada com base no tipo de vertigem que você parece ter.

Consulte o seu médico ou profissional de saúde para determinar o método de tratamento correto para você. Alguns tratamentos incluem o procedimento de reposicionamento canalítico, reabilitação vestibular, remédios homeopáticos e técnicas de redução do estresse, como meditação ou óleos essenciais.

Fontes:
Vertigem: Causas, Sintomas, Tipos e Diagnóstico Vertigem: Causas, Sintomas, Tipos e Diagnóstico Reviewed by Sadestar Saúde on julho 10, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Tecnologia do Blogger.