A constipação pode ser definida de várias formas, já que a frequência do movimento intestinal pode variar entre indivíduos saudáveis ​​- de três movimentos por dia a três por semana. No entanto, a constipação deve ser considerada quando passarem mais de três dias entre os movimentos intestinais. É um dos problemas gastrointestinais mais frequentes nos Brasil, com mais de 2 milhões de consultas médicas por ano.

Quando a constipação continua por mais de alguns meses, é conhecida como constipação crônica ou de longo prazo. A constipação crônica afeta quase 15% de todos os adultos e 30% daqueles com mais de 60 anos. É caracterizada por evacuações difíceis, infrequentes ou incompletas.
15 Maneiras de Tratar a Constipação Crônica e a Longo Prazo

A constipação crônica é definida como tendo dois dos seis sintomas seguintes por mais de três meses: esforço, fezes endurecidas, menos de três evacuações por semana, uso de manobras manuais para ajudar a evacuar as fezes, sensação de evacuação intestinal incompleta ou sensação de bloqueio anorretal.

Complicações devido a esforço excessivo, como hemorroidas, rasgos anais ou fissuras, fezes impactadas e prolapso retal, podem resultar de constipação constante.

A constipação crônica pode diminuir significativamente a qualidade de vida, já que os pacientes podem sentir desconforto abdominal e retal e se sentirem lentos ou inchados, causando interferência em suas vidas diárias. Uma pequena minoria de pacientes com constipação crônica tem distúrbios do sistema nervoso intestinal, resultando em constipação de trânsito lento.

Felizmente, existem várias opções de tratamento eficazes para a constipação a longo prazo. Aqui estão algumas das possíveis ações a serem tomadas, desde modificações no estilo de vida até medicamentos prescritos, se você tem constipação crônica.

1. Aumentar a Ingestão de Água

Beber mais água - pelo menos oito copos de 8 (8 x 8 regra) por dia - pode ajudar a mover o material através do seu sistema digestivo e ajudar a manter as fezes moles.

2. Evite Cafeína

A cafeína pode estar desidratando; muita cafeína, juntamente com pouca água, pode retardar o movimento do material através de seu sistema digestivo.

3. Aumentar a Ingestão de Fibra

Alimentos ricos em fibras - como grãos integrais, frutas, legumes, feijões e farelo - ajudam a melhorar a função gastrointestinal. Alimentos com baixo teor de fibras - como alimentos processados ​​e laticínios e produtos de carne - têm o efeito oposto. Uma dieta diária que contém 20 a 30 gramas de fibras ajuda na formação de fezes mais macias. Se você descobrir que adicionar mais fibras à sua dieta provoca inchaço ou gases, tente adicioná-la gradualmente.

4. Pratique Mais Exercício

Um estilo de vida sedentário ou falta de atividade física pode contribuir para o desenvolvimento da constipação. O exercício físico regularmente estimula a atividade intestinal e diminui o risco de constipação.

5. Levante-se e vá

Não ignore a vontade de passar as fezes. Levante-se e vá ao banheiro. Deixar para depois pode levar a um backup de fezes que podem endurecer e se tornar impactado. Também é aconselhável tentar criar e manter um cronograma regular de evacuações, especialmente após uma refeição.

6. Verifique Seus Medicamentos

Vários medicamentos podem causar constipação crônica. Antiácidos que contêm alumínio ou cálcio, anticonvulsivantes, antiespasmódicos, anticolinérgicos, antiparkinsonianos, antidepressivos, bloqueadores dos canais de cálcio, diuréticos, suplementos de ferro e analgésicos (principalmente narcóticos / opiáceos) podem estar em falta. Verifique com seu médico para ver se seus medicamentos podem ser alterados ou eliminados.

7. Biofeedback

Quando a constipação crônica é causada por disfunção anorretal, o biofeedback pode, às vezes, ser útil. Ele funciona treinando novamente os músculos pélvicos que controlam a liberação dos movimentos intestinais. Aprender a relaxar e apertar esses músculos pode facilitar a evacuação das fezes. O biofeedback também tem sido eficaz para alguns indivíduos com constipação de trânsito lento.

8. Nutrição e Suplementos Dietéticos

Consumir fibras adicionais através do uso de suplementos (juntamente com água adequada) pode ter um efeito positivo na constipação a longo prazo. É melhor, no entanto, consultar o seu médico antes de adicionar quaisquer suplementos à sua dieta diária. Psyllium, uma fibra solúvel que vem da erva arbustiva Plantago ovata, pode ajudar a aliviar a constipação.

A reação entre a casca de psyllium e água forma uma massa gelatinosa que ajuda a mover as fezes através dos intestinos. Outra fibra solúvel, o glucomanano, é derivada da raiz de Amorphophallus konjac; também conhecida como konjak, konjaku, língua-do-diabo, voodoo lily, ou elephant yam. Alguns estudos mostraram que também pode ser útil para resolver a constipação crônica.

Embora os probióticos ajudem a manter os intestinos saudáveis ​​e em bom estado de funcionamento, os estudos que os utilizam para tratar a constipação produziram resultados mistos. Alguns dos tipos mais comuns de probióticos incluem Lactobacillus, Bifidobacteria e Saccharomyces boulardii.

9. Ervas

Verifique com seu médico antes de adicionar ervas à sua dieta para tratar a constipação a longo prazo, pois eles podem causar efeitos colaterais indesejados, bem como interagir com outras ervas, suplementos ou medicamentos.

As ervas utilizadas para tratar a constipação são formações em massa ou laxantes estimulantes. A semente de linhaça, Linum usitatissimum, que é um laxante formador de massa, contém fibra solúvel e pode ser misturada com água. As ervas que são laxantes estimulantes podem causar dor, desidratação e desequilíbrio eletrolítico e são apenas para uso a curto prazo.

10. Amolecedores de Fezes

Amaciadores de fezes funcionam aumentando o teor de água das fezes, ajudando assim a facilitar o seu caminho através dos intestinos. Verifique com seu médico antes de embarcar em um curso de amolecedor de fezes para tratar a constipação constante.

11. Laxantes Sem Receita

Existem diferentes tipos de laxantes que estão disponíveis sem receita médica. No entanto, todos devem ser usados ​​sob a supervisão de um médico, devido aos possíveis efeitos colaterais e interações medicamentosas.

Laxantes a granel, também conhecidos como suplementos de fibras, devem ser tomados com água. Eles trabalham ajudando a reter a água no intestino, o que ajuda a formar fezes mais macias e volumosas, mais fáceis de evacuar.

Os laxantes estimulantes causam contrações regulares nos músculos intestinais, que ajudam a mover as fezes. Os osmóticos fazem com que os fluidos se movam através dos intestinos de forma a causar distensão ou inchaço. Eles podem ser úteis para pessoas com constipação idiopática (constipação sem causa conhecida).

Lubrificantes, como óleo mineral ou supositórios de glicerina, podem ajudar a estimular os movimentos intestinais, facilitando a evacuação das fezes.

12. Medicamentos de Prescrição

Para algumas pessoas, os medicamentos prescritos são a única solução para a constipação crônica. Dois deles, lubiprostona e linaclotide, atraem a água para os intestinos, o que suaviza e acelera o movimento das fezes. Consulta com seu médico irá produzir a melhor escolha para tratar sua constipação crônica.

13. Transtornos Médicos Subjacentes

Às vezes, problemas de saúde subjacentes podem causar constipação a longo prazo, retardando a passagem das fezes através do intestino, reto ou ânus. Estes incluem lesões ou distúrbios na medula espinhal ou no cérebro (como a doença de Parkinson), diabetes ou distúrbios da tiroide. Tratar o distúrbio médico subjacente - como a terapia de reposição de hormônio tireoidiano prescrita para uma tireoide pouco ativa - pode ajudar a resolver a constipação crônica.

14. Transplante de Microbiota Fecal (FMT)

Também conhecido como bacterioterapia fecal ou infusão fecal, este processo refere-se ao transplante de bactérias funcionais das fezes de um doador saudável para o trato gastrointestinal do receptor que sofre de obstipação crônica. Até o momento, os estudos sobre FMT são poucos em número, embora os pacientes com constipação por trânsito lento possam se beneficiar.

15. Cirurgia

Se todas as opções não cirúrgicas falharam em controlar sua constipação crônica e a causa é um bloqueio, fissura, estenose ou casos raros de obstipação por trânsito lento, a cirurgia pode ser uma opção para corrigir o problema subjacente removendo parte dos intestinos. Seu médico pode encaminhá-lo para o cirurgião adequado que é especializado nesses procedimentos.