8 Sinais e Sintomas de Deficiência de Vitamina A

A vitamina A é uma vitamina lipossolúvel que é importante para muitas funções corporais, incluindo visão adequada, um sistema imunológico forte, reprodução e boa saúde da pele.

Existem dois tipos de vitamina A encontrados nos alimentos: vitamina A pré-formada e provitamina A (1).

A vitamina A pré-formada também é conhecida como retinol e comumente encontrada em carne, peixe, ovos e laticínios.

Por outro lado, o corpo converte carotenóides em alimentos vegetais, como frutas e verduras vermelhas, verdes, amarelas e laranjas, em provitamina A (2).

Embora a deficiência seja rara nos países desenvolvidos, muitas pessoas nos países em desenvolvimento não recebem vitamina A.

Aqueles com maior risco de deficiência são mulheres grávidas, mães que amamentam, bebês e crianças. A fibrose cística e diarreia crônica também podem aumentar o risco de deficiência.
Aqui estão 8 sinais e sintomas de deficiência de vitamina A.

1. Pele seca

8 Sinais e Sintomas de Deficiência de Vitamina A

A vitamina A é importante para a criação e reparação de células da pele. Também ajuda a combater a inflamação devido a certos problemas de pele (3).

Não receber o suficiente de vitamina A pode ser o culpado pelo desenvolvimento de eczema e outros problemas de pele (4).

A eczema é uma condição que provoca pele seca, coceira e inflamação. Vários estudos clínicos demonstraram que o suplemento de vitamina A, a alitretinoína, é eficaz no tratamento do eczema (3, 5, 6).

Em um estudo de 12 semanas, pessoas com eczema crônico que tomaram de 10 a 40 mg de alitretinoína por dia tiveram uma redução de até 53% nos sintomas (6).

Tenha em mente que a pele seca pode ter muitas causas, mas a deficiência crônica de vitamina A pode ser o motivo.

A vitamina A desempenha um papel importante no reparo da pele e ajuda a combater a inflamação. Uma deficiência nesse nutriente pode levar a condições inflamatórias da pele.

2. Olhos secos

Os problemas oculares são alguns dos problemas mais conhecidos relacionados à deficiência de vitamina A.

Em casos extremos, não tomar vitamina A em quantidade suficiente pode levar à cegueira completa ou à morte das córneas, que são caracterizadas por marcas chamadas manchas de Bitot (7, 8).

Os olhos secos, ou a incapacidade de produzir lágrimas, são um dos primeiros sinais de deficiência de vitamina A.

Crianças pequenas na Índia, África e Sudeste Asiático que têm dietas sem vitamina A correm mais risco de desenvolver olhos secos (9).

Suplementar com vitamina A pode melhorar esta condição.

Um estudo descobriu que altas doses de vitamina A diminuíram a prevalência de olhos secos em 63% entre bebês e crianças que tomaram suplementos por 16 meses (10).

A deficiência de vitamina A pode causar secura nos olhos, cegueira ou morte nas córneas, também conhecidas como manchas de Bitot. Um dos primeiros sinais de deficiência é muitas vezes uma incapacidade de produzir lágrimas.

3. Cegueira Noturna

A deficiência grave de vitamina A pode levar à cegueira noturna (11).

Vários estudos observacionais relataram uma alta prevalência de cegueira noturna em nações em desenvolvimento (12, 13, 14, 15).

Devido à extensão deste problema, os profissionais de saúde trabalharam para melhorar os níveis de vitamina A em pessoas com risco de cegueira noturna.

Em um estudo, mulheres com cegueira noturna receberam vitamina A na forma de alimentos ou suplementos. Ambas as formas de vitamina A melhoraram a condição. A capacidade das mulheres de se adaptarem à escuridão aumentou mais de 50% em seis semanas de tratamento (16).

Obter quantidades adequadas de vitamina A é crucial para a saúde dos olhos. Alguns dos primeiros sinais de deficiência de vitamina A são os olhos secos e a cegueira noturna.

4. Infertilidade e dificuldade para conceber

A vitamina A é necessária para a reprodução em homens e mulheres, bem como o desenvolvimento adequado em bebês.

Se você está tendo problemas para engravidar, a falta de vitamina A pode ser uma das razões. A deficiência de vitamina A pode levar à infertilidade em homens e mulheres.

Estudos mostram que ratas com deficiência de vitamina A têm dificuldade em engravidar e podem ter embriões com defeitos congênitos (17).

Outra pesquisa sugere que os homens inférteis podem ter uma maior necessidade de antioxidantes devido a níveis mais elevados de estresse oxidativo em seus corpos. A vitamina A é um dos nutrientes que atua como antioxidante no organismo (18).

A deficiência de vitamina A também está relacionada com abortos espontâneos.

Um estudo que analisou os níveis sanguíneos de diferentes nutrientes em mulheres que tiveram abortos recorrentes descobriu que eles tinham baixos níveis de vitamina A (19).

Homens e mulheres que não recebem a vitamina A adequada podem ter problemas de fertilidade. Baixa vitamina A nos pais também pode levar a abortos ou defeitos congênitos.

5. Crescimento atrofiado

As crianças que não consomem vitamina A em quantidade suficiente podem apresentar um crescimento atrofiado. Isso ocorre porque a vitamina A é necessária para o bom desenvolvimento do corpo humano.

Vários estudos mostraram que os suplementos de vitamina A, isoladamente ou com outros nutrientes, podem melhorar o crescimento. A maioria desses estudos foi realizada em crianças de países em desenvolvimento (20, 21, 22, 23).

De fato, um estudo em mais de 1.000 crianças na Indonésia descobriu que aqueles com deficiência de vitamina A que tomaram altas doses de suplementos durante quatro meses cresceram 0.15 polegadas (0.39 cm) mais do que crianças que tomaram placebo (20).

No entanto, uma revisão de estudos descobriu que a suplementação com vitamina A em combinação com outros nutrientes pode ter um impacto maior no crescimento do que a suplementação apenas com vitamina A (22).

Por exemplo, crianças com crescimento atrofiado na África do Sul que receberam múltiplas vitaminas e minerais tiveram escores de comprimento por idade que foram meio ponto melhores do que aqueles que receberam apenas vitamina A (23).

A deficiência de vitamina A pode causar atraso no crescimento em crianças. Suplementar com vitamina A em combinação com outros nutrientes pode melhorar o crescimento mais do que suplementar apenas com vitamina A.

6. Infecções na garganta e no peito

Infecções frequentes, especialmente na garganta ou no peito, podem ser um sinal de deficiência de vitamina A.

Suplementos de vitamina A podem ajudar com infecções do trato respiratório, mas os resultados da pesquisa são mistos.

Um estudo em crianças no Equador mostrou que crianças abaixo do peso que tomaram 10.000 UI de vitamina A por semana tiveram menos infecções respiratórias do que aquelas que receberam placebo (24).

Por outro lado, uma revisão de estudos em crianças descobriu que suplementos de vitamina A podem aumentar o risco de desenvolver infecções na garganta e tórax em 8% (25).

Os autores sugeriram que os suplementos só deveriam ser dados àqueles com verdadeira deficiência (25).

Além disso, de acordo com um estudo em idosos, os altos níveis sanguíneos do carotenoide betacaroteno provitamina A podem proteger contra infecções respiratórias (26).

Suplementos de vitamina A podem proteger crianças com baixo peso de infecções, mas aumentam o risco de infecção em outros grupos. Adultos com níveis sanguíneos elevados de vitamina A podem ter menos infecções na garganta e no peito.

7. Deficiência na cura de ferimentos

Feridas que não cicatrizam bem após lesão ou cirurgia podem estar ligadas a baixos níveis de vitamina A.

Isso ocorre porque a vitamina A promove a criação de colágeno, um componente importante da pele saudável. Pesquisas sugerem que tanto a vitamina A oral quanto a tópica podem fortalecer a pele.

Um estudo em ratos descobriu que a vitamina A oral melhorou a produção de colágeno. A vitamina teve esse efeito, embora os ratos estivessem tomando esteróides, o que pode inibir a cicatrização de feridas (27).

Pesquisas adicionais em ratos descobriram que o tratamento da pele com vitamina A tópica parecia prevenir feridas associadas ao diabetes (28).

Pesquisa em seres humanos mostra resultados semelhantes. Homens idosos que trataram feridas com vitamina A tópica tiveram uma redução de 50% no tamanho de suas feridas, em comparação com os homens que não usaram o creme (29).

As formas orais e tópicas de vitamina A podem promover a cicatrização de feridas, especialmente em populações que são propensas a feridas.

8. Acne e fugas

Como a vitamina A promove o desenvolvimento da pele e combate a inflamação, ela pode ajudar a prevenir ou tratar a acne.

Vários estudos associaram baixos níveis de vitamina A à presença de acne (30, 31).

Em um estudo em 200 adultos, os níveis de vitamina A naqueles com acne foram mais de 80 mcg mais baixos do que naqueles sem a condição (30).

A vitamina A tópica e oral pode tratar a acne. Pesquisas mostram que cremes contendo vitamina A podem reduzir o número de lesões da acne em 50% (32).

A forma mais conhecida da vitamina A oral usada para tratar a acne é a isotretinoína, ou Accutane. Este medicamento pode ser muito eficaz no tratamento da acne, mas pode ter vários efeitos colaterais, incluindo alterações do humor e defeitos congênitos (33).

A acne tem sido associada a baixos níveis de vitamina A. Ambas as formas orais e tópicas de vitamina A são frequentemente eficazes no tratamento da acne, mas podem ter efeitos colaterais indesejados.

Perigos de muita vitamina A

A vitamina A é valiosa para a saúde geral. No entanto, o excesso pode ser perigoso.

A hipervitaminose A, ou toxicidade da vitamina A, geralmente resulta do uso de altas doses de suplementos por longos períodos de tempo. As pessoas raramente tomam muita vitamina A apenas da dieta (34).

O excesso de vitamina A é armazenado no fígado e pode levar a toxicidade e sintomas problemáticos, como alterações na visão, inchaço dos ossos, pele seca e áspera, úlceras na boca e confusão.

As mulheres grávidas devem ter um cuidado especial para não consumir muita vitamina A para evitar possíveis defeitos congênitos.

Sempre verifique com seu médico antes de iniciar suplementos de vitamina A.

Pessoas com certas condições de saúde podem precisar de uma quantidade maior de vitamina A. No entanto, a maioria dos adultos saudáveis ​​precisa de 700 a 900 mcg por dia. As mulheres que estão amamentando precisam de mais, enquanto as crianças precisam de menos (1).

A toxicidade da vitamina A geralmente resulta de tomar muito da vitamina em forma de suplemento. Pode causar problemas sérios, incluindo alterações na visão, úlceras na boca, confusão e defeitos congênitos.

Resumindo Sobre Sinais e Sintomas de Deficiência de Vitamina A

A deficiência de vitamina A é prevalente em nações em desenvolvimento, mas é rara no Brasil e em outros países desenvolvidos.

Pouca vitamina A pode causar inflamação da pele, cegueira noturna, infertilidade, atraso no crescimento e infecções respiratórias.

Pessoas com feridas e acne podem ter níveis sanguíneos mais baixos de vitamina A e se beneficiar do tratamento com doses mais altas da vitamina.

A vitamina A é encontrada na carne, laticínios e ovos, assim como nos alimentos vegetais vermelhos, laranja, amarelos e verdes. Para ter certeza de obter vitamina A suficiente, coma uma variedade desses alimentos.

Se você suspeitar que tem uma deficiência de vitamina A, converse com seu médico ou profissional de saúde. Com os alimentos certos e suplementos, consertar uma deficiência pode ser simples.

Postar um comentário

0 Comentários